Entenda como é determinado o poder de compra do brasileiro

Para organizar uma empresa de sucesso e conseguir promover uma boa venda dos produtos, é preciso entender o poder de compra do brasileiro e como isso influencia nos seus hábitos de consumo.

Entender esse conceito permite que você estruture promoções e ofertas dentro da capacidade de pagamento do seu público-alvo e direcionando estratégias.

Quer entender melhor o assunto? Então, continue lendo este post!

O que é poder de compra?

O conceito econômico de poder de compra é bem simples e pode ser facilmente compreendido por todos. Vamos supor que com 10 reais você poderia comprar três pacotes de 1 kg de arroz. Hoje, você vai ao supermercado e consegue comprar apenas dois pacotes com o mesmo valor.

Isso significa que o seu poder de compra caiu, ou seja, você adquire menos produtos com a mesma quantidade de dinheiro.

Como está o poder de compra do brasileiro?

Um dos índices usados no mundo todo para entender o poder de compra em cada país e compará-lo é o Índice Big Mac. Essa métrica usa o valor do famoso lanche para entender o poder de consumo das pessoas em cada local e estabelecer parâmetros, a partir do conceito de Paridade do Poder de Compra (PPC).

Dentro desse conceito, de acordo com artigo publicado pela Exame, o brasileiro sente dificuldade para consumir em países da América do Norte, Europa e Ásia, ao mesmo tempo, em que se sente rico se estiver em locais como Colômbia, Argentina, México e Índia.

Se compararmos o poder de compra em relação ao salário-mínimo, podemos perceber um aumento no valor pago aos trabalhadores. Com isso, até o ano de 2019, podemos afirmar que o poder de compra do brasileiro que recebe com base no salário-mínimo aumentou, mesmo com a elevação no IPCA, um dos indicadores usados para medir a inflação.

Por que acompanhar o poder de compra do brasileiro é tão importante?

Diversos fatores influenciam o poder de compra, como a inflação, o PIB, mudanças no governo, crises econômicas, entre outros. Com as diversas flutuações existentes no mercado, é difícil pensar em uma situação permanente. Além disso, questões como alto índice de desemprego ou recessão das empresas também afetam seriamente a economia.

Quando se trata da liberação de crédito, é essencial considerar essas oscilações na hora de avaliar o cliente. Considerar o poder de compra atual, mas também o histórico do consumidor e outros pontos relevantes é indispensável para que seja feita uma análise que ofereça mais segurança ao lojista, em vez de liberar o crediário para incentivar a venda e, com isso, atingir um alto índice de inadimplência.

Entender como é determinado o poder de compra do brasileiro e identificar os momentos mais favoráveis, ajuda a zelar pela sobrevivência do negócio. Assim, o empreendedor consegue perceber até que ponto pode afrouxar as políticas de crédito sem que isso ameace o bom funcionamento da empresa.

Gostou desse conteúdo? Achou útil para uma administração mais precisa? Aproveite então para compartilhá-lo nas suas redes sociais e ajudar mais pessoas a entenderem melhor o assunto!

Quer receber as nossas novidades por e-mail gratuitamente?

Cadastre-se para receber as nossas novidades por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.